sábado, 2 de agosto de 2008

origami

nem sempre somos
o que queremos ser.

um dia,
   pássaros.
um dia,
   papel amassado
                no chão.

[somos as dobraduras da vida]

9 comentários:

Nadja disse...

Lindo poema!
Seus poemas tem sempre essa coisa da reflexão sobre a vida...




bjoss
xD

Marcela Bertoletti disse...

Poxa Mary,

Adorei o seu blog!
Valeu pelo coment no catavento e cotovia!
Lindos poemas! Voltarei aqui mais vezes!

Bj

Mulher na Janela disse...

Querida Mary!

Que bom te ter de volta a esse mundo virtual nem sempre benfazejo aos nossos propósitos poéticos.

Você, verdadeira poeta!

Um grande beijo,

Iara

Grazielle disse...

Nossa... é bem verdade isso!

Ariane disse...

um dia pássaro voando na imensidão aul, outro dia, leoa correndo na savana dourada, ou simplesmente amassada ao chão esperando o vento levar...

muito bom voltar a ler suas entrelinhas...

beijos ensolarados

alex pinheiro disse...

Eita! Segura aí que já está rolando seqüencia de publicações,,, rs
... Quero ser uma bela dobradura feita com folheto de supermercado, rs

Bjs e geniais invenções!

Márcia(clarinha) disse...

Dobraduras que magoam e marcam...

Mas se pudesse escolher seria o clássico pássaro, livre para voar!

lindos dias flor
beijos

dc disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
daniel caballero disse...

dobrei tudo o que pude e não voei.
cai amassado e agora enxergo o que sou.
era mais do que queria